Fraturas do cotovelo

Como ocorrem?

As fraturas do cotovelo podem resultar de uma queda, impacto direto ou mobilização forçada do cotovelo. Entorses, distensões ou luxações podem ocorrer simultaneamente com a fratura.

As fraturas do cotovelo incluem:

  • Fraturas do úmero distal: ocorrem geralmente em crianças e no idoso, podendo associar-se a lesões vasculonervosas; geralmente requerem tratamento cirúrgico com placa e parafusos no adulto, a menos que sejam estáveis.

  • Fraturas da cabeça e colo do rádio: a dor é geralmente pior com a pronossupinação (virar da palma da mão para cima e para baixo); o tratamento depende do número e tamanho de fragmentos bem como de bloqueio ou lesões associadas, podendo requerer ou não cirurgia, incluindo fixação do(s) fragmento(s), sua excisão ou artroplastia (prótese).

  • Fraturas do olecrâneo: são geralmente desviadas, exigindo o tratamento cirúrgico com fios metálicos e aramagem ou placa e parafusos.

 

Quais os sinais e sintomas?

Dor, edema, rubor e rigidez podem ser sinais de possível fratura. Pode ocorrer sensação de estalido aquando da lesão, bem como deformidade, particularmente se a fratura se associar a luxação. O doente pode sentir parestesias (formigueiros) ou fraqueza do antebraço, punho ou mão.

 

Como se processa o diagnóstico?

As radiografias associadas aos critérios clínicos podem ser suficientes para um diagnóstico definitivo, no entanto pode ser necessária a realização de tomografia computorizada no caso de fraturas mais complexas.

 

Quais as opções terapêuticas?

O tratamento conservador, como o uso de suspensão antebraquial, tala ou imobilização gessada é tipicamente reservado para fraturas em que é baixo o risco de desvio da fratura cujos fragmentos se encontram alinhados. A idade também é um fator importante. As imobilizações gessadas são mais frequentes nas crianças, pelo baixo risco de desenvolverem rigidez; no entanto nos adultos a rigidez é muito mais comum.

As fraturas que cursam com desvio ou são instáveis exigem geralmente a abordagem cirúrgica. No caso de fracturas abertas (com ferida cutânea sobre a fratura) a cirurgia é urgente para limpeza da ferida e osso e minimização do risco de infeção.

 

O que esperar da reabilitação?

O processo de reabilitação, que inclui fisioterapia, visa maximizar as mobilidades e diminuir o risco de rigidez. Tal pode incluir exercícios, massagem de cicatriz, ultrassons, calor, gelo e talas.

voltar